Novas formas de aprendizagem são desafios para a educação em 2022

Volta às aulas presenciais e novo ensino médio são os principais desafios para as escolas neste ano

Foto: Divulgação

Depois de quase dois anos de aulas remotas por causa da pandemia do Coronavírus, as escolas estão voltando com o ensino totalmente presencial, em janeiro deste ano. Os impactos gerados pelo covid-19 deixaram grandes desafios para os educadores, pais e alunos, o que faz com que a educação em 2022 seja tópico de diversas análises e reflexões.

Para Lorena Jacob, diretora pedagógica do colégio Physics, o principal desafio da educação em 2022 é a ressocialização dos alunos e professores. “Nós estamos vivendo exatamente isso nessa primeira semana de aula, que é esse retorno real pro presencial. Nós vivemos de formas diferenciadas por dois anos, alguns alunos de forma presencial, outros de forma híbrida e outros de forma remota e agora todos estamos vivendo de forma presencial. O professor também precisa se adaptar, ele não estava mais acostumado com essa presença física em massa dentro da sala de aula, ele também estava ajustado ao modelo híbrido, no qual ele tinha que estar linkado a quem estava em casa e a quem estava na escola”, explicou.

A maior dificuldade nesse momento, de acordo com Lorena, é voltar a se perceber no modelo presencial de educação, e ao mesmo tempo dar continuidade nos protocolos, encontrando um ponto de equilíbrio. “As escolas e os profissionais estão muito atentos a isso, até porque nós não estamos mais encontrando aquele aluno que nós conhecíamos há dois anos, nós estamos hoje com um novo alunado”, afirmou a educadora.

Lorena conta que o planejamento pedagógico deste ano será amplo, com muitas possibilidades e experiências para os alunos aproveitarem. “Nesses primeiros dias de aula nós nos deparamos com crianças emocionadas, pois estavam há dois anos sem estar vinculadas à escola, sem viver a escola, sem vir para um recreio, sem encontrar os colegas… Nós estávamos sentindo muita falta, assim como os alunos. Eles estavam precisando desse contato mais lúdico e tátil”, disse.

Novo ensino médio

Outro desafio na educação brasileira este ano é a implementação do Novo Ensino Médio, que começou a ser executado gradativamente com os alunos da primeira série do ensino médio. O novo método traz o aumento de horas letivas e mudanças na grade curricular, com uma preparação voltada ao mercado de trabalho, o que fará o aluno se formar na escola com o diploma da área escolhida por ele.

“Nesse primeiro momento do novo ensino médio, como o Physics é uma escola que visa aprovação, nós vamos trabalhar a ampliação do potencial do aluno. A ideia é que nós utilizemos o itinerário obrigatório de manhã, e à tarde os alunos terão os itinerários optativos. O aluno volta, no mínimo, um dia por semana no contraturno e faz o itinerário optativo”, esclareceu Lorena.

No novo ensino médio, as disciplinas passam a ser áreas de conhecimento, como são apresentadas no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem): linguagens e suas tecnologias, matemática e suas tecnologias, ciências da natureza e suas tecnologias e ciências humanas e suas tecnologias.

“Quanto mais conhecimento os alunos tiverem, melhor para eles. Os estudantes podem optar por quais áreas querem estudar de forma mais aprofundada, mas, como ainda está muito precoce, nós vamos direcionar para que eles cursem todas as disciplinas, se permitam aprender mais, e enriqueçam seu conhecimento. Essa mudança é uma forma de nós criarmos uma ludicidade no ensino médio, torná-lo mais atrativo, tornar o conhecimento com mais potencial de mão na massa. O aluno tem regularmente as disciplinas básicas pela manhã e à tarde ele vai ter o fortalecimento lúdico disso com experiências, com visitas, com apropriação de instrumentos. Se de manhã ele está tendo uma aula de geografia, por exemplo, falando sobre latitude e longitude, à tarde ele vai ter o uso de uma bússola, de um globo, de vídeos. É um aprimoramento dessa visão de mundo dentro do conteúdo, para gerar nesse aluno mais apropriação do conhecimento que ele ganha no dia-a-dia. O novo ensino médio traz esse potencial de enriquecimento e aprofundamento”, completou a diretora pedagógica.

Com informações da assessoria