Tratamento que reduz em 90% as dores causadas pela fibromialgia chega a Belém

A técnica foi desenvolvida por pesquisadores da USP de São Carlos e está à disposição na clínica comanda pelo fisioterapeuta Diogo Bonifácio

O fisioterapeuta Diogo Bonifácio é pioneiro em tratamento inovador que combate as dores provocadas pela fibromialgia. Desenvolvido por pesquisadores do Grupo de Óptica do Instituto de Física de São Carlos, da Universidade de São Paulo (USP), o tratamento tem mostrado resultados significativos, zerando a dor de 90% dos pacientes tratados.

A fibromialgia é uma doença crônica de causa desconhecida, associada ao sistema nervoso central e que gera dores musculares generalizadas e incapacitantes. Segundo a Sociedade Brasileira de Reumatologia, a doença afeta 2,5% da população mundial e não tem cura, mas existem tratamentos que dão mais qualidade de vida aos pacientes que convivem com a fibromialgia.

Por meio de terapia fotossônica, que envolve a aplicação de ultrassom terapêutico e um laser de baixa potência, que apresenta ação anti-inflamatória e analgésica, promove equilíbrio no organismo e, consequentemente, controle da dor. Tanto o protocolo do tratamento como o aparelho utilizado são considerados inéditos e já mereceram publicação no prestigiado Journal of Novel Physiotherapies, pelos pesquisadores do Centro de Pesquisas em Óptica e Fotônica.

Protocolo exclusivo
O tratamento tem demonstrado alta resolutividade na fibromialgia. “É uma tecnologia que aplicada de forma isolada em pontos estratégicos do corpo diminui a dor em até 90% em pouco tempo de tratamento”, esclarece o fisioterapeuta.

Para potencializar esse resultado, Diogo Bonifácio desenvolveu um protocolo específico e próprio que se soma muito bem a terapia fotossônica. A fibromialgia é uma síndrome e é multifatorial em sua origem, que passa por desordens do sono, hábitos alimentares, alterações metabólicas e mitocondriais disbiose intestinal, síndrome da fadiga adrenal, sedentarismo, depressão e questões de origem do sistema nervoso central. “Baseado em tudo isso o protocolo desenvolvido por mim atinge cada uma dessas questões. E assim a gente tem uma ação terapêutica mais assertiva e conclusiva em cima de cada caso”, enfatiza.

Chega de dor

Os estudos publicados, pela USP em revistas internacionais, vêm mostrando o sucesso da terapia fotossônica na abordagem da dor crônica, em curto espaço de tratamento. Segundo Diogo Bonifácio, o fato da aplicação ser indolor, não-invasiva, livre de fármacos e realizada em espaço ambulatorial é o aspecto mais positivo da terapia. “Temos, então, rapidez, praticidade e solução no tratamento das dores crônicas”, diz.
Uma das pacientes que viu sua vida melhorar exponencialmente foi a professora e artista plástica Telma Grisólia, 55 anos. A paraense, que sofre com os incômodos da fibromialgia, já fez todos os tipos de tratamentos que encontrou, mas todos sem resultados relevantes.

“Fui à busca da terapia fotossônica sem muitas expectativas, pois já passei por muitos tratamentos sem resultados satisfatórios. Já não tinha mais esperança”, revela. Telma conta que quando Diogo falou do tratamento, ficou interessada, mas sem esperar muito, afinal nada havia dado certo, até então. “Confesso que me enganei, pois o tratamento foi surpreendente. Foi maravilhoso! Eu estou me sentindo muito bem com essa terapia, que resgatou minha qualidade de vida. Eu sou uma nova pessoa”, comemora Telma.

O feirante Douglas Tavares chegou a clínica Diogo Bonifácio, com fortes dores no quadril e joelhos. Após as sessões de terapia fotossônica e ozonioterapia sistêmica, o paciente teve grande melhora das dores em joelhos e pouca queixa em quadril. “Hoje eu consigo subir escadas sem dificuldades, estou trabalhando normalmente e fazendo atividade física com bicicleta ergométrica. Vou marcar uma reavaliação para garantir o sucesso de tratamento”, revela.

Diogo Bonifácio esclarece que este tratamento não se trata de cura de uma doença, mas de redução das dores e incômodos causados pela fibromialgia. Vale ressaltar que este tratamento vem a somar a outros tratamentos realizados pelo paciente, e que uma avaliação prévia é importante para direcionar o melhor tratamento de cada pessoa.

Sobre Diogo Bonifácio
O fisioterapeuta é um dos profissionais mais bem preparados quando o assunto é o uso da ozonioterapia em diversos tratamentos. Também desenvolve a fisioterapia integrativa e traumato-ortopédica na clínica que comanda na capital paraense e em sua clínica em São Paulo. É professor de cursos de pós-graduação, Mestrando em Fisioterapia Desportiva, pela UFP, Universidade Fernando Pessoa. Porto (Portugal), é diretor conselheiro do Crefito-12. Possui ainda vasta formação e experiência na Terapia Manual e Postural, é membro da Sociedade Brasileira do Estudo da Dor – SBED e ministra cursos de formação em Ozonioterapia em diversas capitais do Brasil e Portugal.